quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Propósito: Pré-Conclusão




No fim de cada mês tenho concluído sobre o hábito que andei a praticar, o que achei, se vou continuar a praticar... No entanto, no que diz respeito ao propósito ainda não consigo chegar a uma conclusão. Sinto que ainda ando a esclarecer alguns aspectos.


Ponto de situação


Quando iniciei o mês pensava que estava na situação do "Não sei", mas na realidade estava na situação do "Acho que não sei, mas sei". 

Neste momento eu sei qual é o meu propósito, mas é como se fosse uma voz interior que eu ainda não consigo dizer em voz alta. Ainda não consigo assumir isso para o exterior. Sinto que tenho de esclarecer algumas dúvidas e perceber o que posso fazer com o meu propósito.



O que planeio fazer


Vou estudar melhor o livro Tu Consegues! Preciso de aprofundar alguns exercícios e compreender melhor alguns conceitos.

Além disso, já marquei a minha sessão estratégica com a autora do livro porque sinto que preciso de ajuda para clarificar algumas questões. No entanto, essa sessão só pode acontecer em Outubro, pelo que até lá vou preparar-me o melhor que puder para obter o máximo rendimento possível.

Sempre que haja novidades sobre este assunto, vou contar-vos tudo e quem sabe se em Outubro consigo chegar a uma conclusão decente.


E vocês, descobriram ou já estão a viver o vosso propósito?

  


terça-feira, 30 de agosto de 2016

Oil pulling


Créditos


Em Setembro vou fazer uma pausa nos hábitos de desenvolvimento pessoal porque sinto que preciso de esclarecer melhor algumas coisas sobre como viver o meu propósito.
Enquanto isso, o hábito que vou praticar em Setembro é muito simples e todos podem praticar: Oil pulling.

A primeira vez que li sobre oil pulling foi no blog da miss kale e fiquei com muita vontade de experimentar, mas ficou sempre no campo das intenções e nunca chegou à prática. Chegou o momento.


Em que consiste?


Oil pulling é uma das melhores formas de remover bactérias e ter dentes e gengivas saudáveis!
Começou por ser utilizado na medicina ayurvédica (medicina tradicional indiana) e consiste em bochechar uma colher de óleo, de primeira pressão em frio, durante 10 minutos, logo ao despertar.

O óleo utilizado pode ser de coco, sésamo, girassol ou azeite (de preferência biológicos e de primeira pressão em frio). O óleo de coco tem demonstrado resultados superiores devido às propriedades antivirais, antifúgicas, antibacterianas e antisépticas.


Benefícios


Os principais benefícios do oil pulling são:
  • fortalecimento dos dentes e gengivas;
  • redução da placa bacteriana;
  • desaparecimento de mau hálito;
  • redução de gengivite;
  • eliminação do sangramento das gengivas;
  • redução de inflamações;
  • dentes mais brancos;
  • alívio dos sintomas de garganta seca;
  • prevenção de cáries.

Convencidos? Então vamos lá testar esta técnica tão simples.


Como vou praticar?


Durante o mês de Setembro (30 dias) vou:

  • Bochechar uma colher de sopa de óleo de coco durante 10 minutos;
  • Vou fazê-lo em jejum, ou seja, antes de beber ou comer alguma coisa; 
  • Aproveito enquanto estou a preparar as coisas de manhã e vou bochechando, não é necessário fazer muita força, apenas certificar-me que o óleo passa por todos os locais da boca;
  • Lembrar-me de nunca engolir este óleo, visto que está cheio de toxinas; 
  • Deitar fora passados os 10 minutos;
  • Passar a boca por água e lavar os dentes.


Conto com a vossa companhia, vamos praticar oil pulling?



Fontes:
Guimarães F. Como ficar com dentes fortes e saudáveis em apenas 5 minutos. Disponível em: <http://misskale.pt/como-ficar-com-dentes-fortes-e-saudaveis-em-apenas-5-minutos/>. Acesso em: 30/08/2016

Axe J. Coconut oil pulling benefits and my how-to guide. Disponível em: <https://draxe.com/oil-pulling-coconut-oil/>. Acesso em: 30/08/2016






sexta-feira, 26 de agosto de 2016

A minha opinião sobre o livro "Tu Consegues! - Joana Areias"




Como algumas pessoas me têm perguntado sobre o livro, o que achei, se vale a pena ou não. Resolvi dar a minha opinião sobre os livros que vou lendo. 
Atenção que é apenas a minha opinião, não sou nenhuma crítica literária. Quando começo um livro, leio-o com uma mente receptiva. Acho que os livros têm sempre algo a ensinar mesmo aqueles de que não gostamos.


A minha opinião


Se estão a pensar que o livro é uma conversa formal com uma coach em que andamos esbaforidos a saltar de objectivo em objectivo... não é nada disso.

É antes uma conversa informal com uma amiga que tem o dom de nos fazer perguntas, umas estranhas, outras divertidas e outras incómodas. Todas essas perguntas ao longo do livro vão fazer todo o sentido no final. Como se estivéssemos a encaixar várias peças do puzzle e no final víssemos a "imagem total".
Gostei particularmente dos exemplos reais dos clientes, de aprender alguns conceitos de psicologia explicados de forma muito clara e fiquei com vontade de ler alguns dos livros sugeridos.

Ao ler o livro, descobri que o difícil não é descobrir o propósito, bem vistas as coisas essa até é a parte mais fácil. Vivermos o nosso propósito e pô-lo em prática é que já é outra conversa totalmente diferente.
Houve dias em que olhei para o livro e pensei "Sim, eu vou conseguir!" e houve outros dias em que pensei "Ai Joana, não sei se vou conseguir!".

O livro baseia-se num método criado pela autora, que nos permite, não só descobrir o nosso propósito, mas também colocá-lo em prática. O livro está recheado de ferramentas úteis como:

  • compreendermos o que gostamos e o que não gostamos; 
  • aprendermos a fazer alguma introspecção;
  • aprender a sair da nossa zona de conforto;
  • definir as nossas prioridades; 
  • definir objectivos e como os atingir;
  • ultrapassar obstáculos reais e desculpas inventadas pela nossa mente. 

Mas o trabalho tem de ser feito por nós.


Vale a pena ou não


Para mim valeu bem a pena, o custo irrisório do livro não se compara ao valor de conhecimentos que me proporcionou. Mesmo para pessoas que não estejam à procura do seu propósito, é um livro bastante útil pela quantidade e qualidade de ferramentas que ensina.

Além disso, traz um bónus, um voucher que nos permite marcar uma sessão estratégica gratuita com a autora, válido durante este ano de 2016.
Eu já ando a marcar a minha sessão e estou mesmo entusiasmada.


E vocês, o que andam a ler?




segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Propósito: Inspiração #4


Mais um vídeo inspirador, a mim ajudou-me a colocar as coisas em perspectiva.

A minha tradução "fantástica" (cof cof) em baixo.





Como saber o teu propósito de vida em 5 minutos - Adam Leipzig


"Na última noite da minha 25ª reunião da universidade, houve uma festa numa tenda, com dança, música e barulho. Tanto barulho que muitos de nós começámos a sair da tenda para conseguir ouvir-nos e falarmos uns com os outros... e sabermos as novidades de colegas que não víamos há mais de duas décadas.

Enquanto falava com os meus amigos fiz uma descoberta espantosa: 80% estavam infelizes com as suas vidas. Diziam "Eu sinto que desperdicei a minha vida e estou a meio dela" ou "Eu não sei a razão da minha vida".

Eu fui privilegiado em ir para Yale e estávamos numa noite de Verão no meio do antigo campus de Yale. E as pessoas com quem estava a falar eram privilegiadas, bem formadas, estavam bem financeiramente e em posições de poder... E tiveram a sua primeira casa e a segunda casa... E tiveram a primeira esposa e a segunda esposa. E 80% eram infelizes nas suas vidas.

Quem eram os felizes 20%? 
Bem, nós tínhamos estudado Literatura e Retórica Renascentista... e éramos as pessoas do teatro e os cromos de História. Nós tínhamos estudado disciplinas pelo prazer de aprender, não porque pensávamos que elas nos iriam colocar directamente num trabalho específico. Nós continuamos a ter trabalhos, vivemos as nossas vidas expansivamente, com os altos e baixos da vida... e não sentimos que desperdiçámos um único minuto.

E enquanto falava com os 20%, os felizes 20%, descobri que cada um deles sabia algo sobre o seu propósito de vida, porque sabiam 5 coisas:
  1. Quem eram
  2. O que faziam
  3. Para quem o faziam
  4. O que essas pessoas queriam ou necessitavam
  5. O que essas pessoas obtinham ou como mudavam em resultado disso.


Soa difícil? Não é, na realidade é bastante simples. De facto é tão simples que podem aprender o vosso propósito de vida agora.

(...)
Gostariam de saber o vosso propósito de vida nos próximos 5 minutos?

(...) na verdade, nem vai demorar 5 minutos. Posso partilhar outra coisa convosco?
Se são como muitos de nós que se perguntam e preocupam com o propósito de vida há muito tempo... e há livros... e revistas... e workshops... e seminários sobre isso. De facto a Amazon tem uma lista de 151 928 livros que ensinam como se pode aprender o propósito de vida.

Eu conheço algumas pessoas que passaram as suas vidas inteiras a tentar aprender o seu propósito de vida. Todos concordamos que a vida por examinar, não vale a pena ser vivida. Mas, se tudo o que fazem é examinar, não estão a viver.

Então, vamos descobrir o propósito de vida agora, juntos:
  1. Quem são
  2. O que fazem
  3. Para quem o fazem
  4. O que essas pessoas querem e precisam
  5. Como essas pessoas mudam em resultado

1. Quem são?


(...) quando contar até 5, gritem o vosso primeiro nome.

1...2...3...4...5...(gritem)

Fabuloso, essa era a primeira, só faltam quatro. Isso é quem vocês são.


2. O que fazem?


Agora, o que fazem? O que adoram fazer?
Gostam de escrever, cozinhar, desenhar, criar apps IOS, código, processar números, falar, ensinar?

O que é que adoram fazer?
Se vos surgir muitas coisas, foquem-se ao colocarem a vocês próprios esta única questão: Qual é a única coisa que neste momento se sentem extremamente qualificados para ensinar às outras pessoas?
Pensem sobre isso numa única palavra. Aguentem, não a libertem ainda. Quando eu contar até 5.

O que fazem?

1...2...3...4...5 (digam)

Boa, isso é o que fazem.


3. Para quem o fazem?


Agora pensem para quem o fazem, imaginem-nos na vossa mente, estejam prontos para dizer aos 5. Aguentem, não libertem ainda.

1...2...3...4...5 (digam)

(...)
Obrigado, esse é o espírito que precisamos.


4. O que essas pessoas querem ou precisam?


Agora, o que é que essas pessoas querem ou precisam?
O que é que elas querem ou precisam que vocês têm e elas vêm ter convosco para vocês lhes darem.
O que é que elas querem ou precisam? Só em uma ou duas palavras. Aguentem, não libertem já.

1...2...3...4...5 (digam)

Fantástico.


5. Como essas pessoas mudam em resultado?


Agora, esta é a melhor.

Como é que elas mudam? Como é que elas mudam ou se transformam em resultado do que vocês lhes dão?

1...2...3...4...5 (digam)

Formidável.


O vosso propósito


Agora vamos pôr tudo isto junto numa frase, ok?

(...)
  1. Quem são? (digam)
  2. O que fazem? (digam)
  3. Para quem o fazem? (digam)
  4. O que essas pessoas querem ou precisam? (digam)
  5. Como essas pessoas mudam em resultado? (digam)
Fantástico. Acabaram de fazer algo que as pessoas que foram para Yale não conseguiram em 25 anos. Parabéns, batam palmas.

Agora, porque é que esta fórmula é tão poderosa?
Porque de todas essas cinco coisas, que precisam saber para saber o vosso propósito, apenas duas são sobre vocês próprios. As outras três são sobre as outras pessoas: 
  • quem eles são
  • o que querem ou precisam
  • como mudam em resultado disso
Esta fórmula força-vos a direccionarem-se para o exterior. E todas as pessoas felizes que encontrei fora da tenda, naquela noite, estavam voltadas para o exterior e não para o interior.
Elas sabiam muito claramente quem serviam, do que essas pessoas precisavam e como essas pessoas tinham mudado como resultado.

E podem já ter intuído isto: que as pessoas mais bem sucedidas em qualquer área focam-se sempre mais nas pessoas que servem/ajudam em vez de como elas se servem a si próprias.
As pessoas mais felizes fazem questão de fazer os outros felizes, e fazem coisas que as fazem sentir bem cuidadas e seguras.
Se fizerem outras pessoas felizes, a vida ensina-nos, também seremos bem cuidados.


Ponto extra


Visto que vocês se saíram tão bem, temos tempo para um pouco de créditos extra.

Uma das coisas mais difíceis que acontecem quando conhecem pessoas pela primeira vez, é quando elas vos perguntam: "Então, o que é que fazes?".
Se forem como alguns de nós, é uma questão muito desafiante, por vezes. Particularmente, se nesse momento estás entre trabalhos... ou se te sentes vulnerável... ou se não está definido... ou o que parece que fazes não é o que fazes na realidade... ou o que és pago para fazer não é o que te define.

Então quando as pessoas te perguntam esta questão "Então, o que é que fazes?" (...) Eis o que vocês fazem:

  • Podem dizer "Eu dou sonhos fantásticos às crianças". Se o vosso propósito de vida é "Eu escrevo livros para crianças, para que elas possam adormecer à noite e terem sonhos fantásticos."
  • Ou podem dizer "Eu ajudo as pessoas a parecerem e a sentirem-se no seu melhor". Se o vosso propósito de vida é: "Eu desenho vestuário para homens e mulheres que necessitam de escolhas mais acessíveis para que possam parecer e sentirem-se no seu melhor."
  • Ou podem dizer "Eu ajudo as pessoas a trazerem o seu melhor trabalho para o mundo". Se o vosso propósito de vida é "Eu treino empreendedores e pessoas criativas a tomarem acções decisivas, para que possam trazer o seu melhor trabalho para o mundo."
E depois, aquele pequeno fragmento, que vocês disseram, torna-se a vossa declaração pessoal. Vai sempre iniciar uma conversação porque a pessoa com quem estão a falar, vai ter de vos perguntar: "Como é que dás sonhos fantásticos às crianças?"; "Como é que ajudas as pessoas a parecerem e a sentirem-se no seu melhor?"; "As pessoas podem realmente trazer o seu melhor trabalho para o mundo?"

E depois podem dizer-lhe e podem partilhar o vosso propósito de vida. E podem partilhar como elas podem aprender também o seu."





sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Propósito: O que aprendi estas semanas #2 e #3




Já estou quase a terminar de ler o livro e sinceramente já aprendi bastante. Tive de encarar exercícios que não me apetecia fazer, tive de me obrigar a sair da minha zona de conforto, para descobrir não só o meu propósito, mas também o que gosto e o que não gosto, os meus pontos fracos e fortes, os meus talentos. Ou seja, descobrir-me.

Comecei com o "Não sei" o meu propósito, neste momento estou um pouco em cada uma das fases "Acho que não sei, mas sei" e "Sei, mas não sei como". 

Sim eu sei que é confuso, ou se sabe ou não se sabe, não é? Mas eu sou assim por vezes, confusa. O que quero dizer é que ainda não sou capaz de afirmar com certeza o meu propósito. Não vale a pena andar com rodeios, e chegar aqui com uma história muito bonita, mas que não é verdadeira. 

Neste momento sinto-me confusa, mas não é por isso que vou desistir. Continuo a ler o livro até ao fim e sinto que tenho de estudar melhor algumas partes e aprofundar alguns exercícios, para conseguir afirmar com certeza o meu propósito e delinear caminhos para o pôr em prática.


E vocês têm feito progressos? Já sabem o vosso propósito? Uma ajudinha é sempre bem vinda.



terça-feira, 16 de agosto de 2016

Propósito: Inspiração #3


Este é um vídeo inspirador sobre o sentido da vida, palavras inspiradoras de uma mulher com M maiúsculo.

O vídeo tem legendas basta carregar no botão das legendas e nas definições para português. Sim, eu sei que vocês gostam muito das minhas traduções (cof, cof) mas hoje não precisam.




"Muitas pessoas não sabem o seu propósito. E se tu não sabes o teu propósito, o teu objectivo imediato é descobri-lo. Caso contrário, estás apenas a vaguear por aqui.
Oprah Winfrey 


quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Como andam a correr as aulas de culinária



Como vos disse, aproveitei as férias do André para o ensinar a cozinhar

As aulas de culinária continuam e ele adora ir para a cozinha. Já se desenrasca muito bem e faz as coisas com gosto, aliás nos dias que não lhe apetece (ou a mim), deixo-o estar, quero que cozinhar seja um motivo de prazer e não de frete ou obrigação.
Pergunto sempre se ele quer ajudar e respeito a vontade dele. Também há dias em que não estou com paciência para ensinar e não o chamo.


Pequenos (grandes) progressos


Desde que começaram estas aulas de culinária:
  • Já faz os próprios lanches. Decide o que quer comer e normalmente corta fruta e come com iogurte, noutros dias faz torradas e bebe com leite, ele é que decide. 

  • Este mês, decidiu fazer o pequeno-almoço para todos ao domingo. Vai para a cozinha, corta fruta e junta com iogurte, faz torradas, põe manteiga, ele é que gere e serve os pequenos-almoços. Nem vos digo o bem que me sabe o meu pequeno-almoço de domingo.

  • No outro dia, o almoço era uma salada e ele quis fazer tudo sozinho, pôs a alface, a rúcula, cortou tomates, aipo, rabanetes, pôs atum (natural), sementes, óregãos e temperou com flor de sal, pimenta, azeite e vinagre. Uma delícia!


Vantagens de ensinar as crianças a cozinhar


Se têm dúvidas em ensinar os vossos filhos a pôr as mãos na massa, digo-vos que vale muito a pena. Normalmente, focamo-nos na trabalheira e no tempo que perdemos por eles virem para a cozinha, mas se nos focarmos nas recompensas é tudo mais fácil.

Pela minha humilde experiência, as vantagens são:

  • Passarem tempo de qualidade juntos;
  • As crianças, quando cozinham, percebem o valor dos alimentos e aprendem a saboreá-los à refeição;
  • Têm a oportunidade de lhes ensinar a cozinhar de forma saudável;
  • Podem ver os vossos filhos a evoluir com o tempo;
  • Podem ser presenteados com um belo pequeno-almoço e almoço (quem sabe).

E, no fim das contas, não demora assim tanto tempo nem dá assim tanto trabalho. Escolham dias que estejam com paciência e eles queiram de facto estar ali.



E os vossos pequenos, já vão para a cozinha?




sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Propósito: O que aprendi esta semana #1



"Tinha muitas dúvidas se existiria mesmo algo em que me pudesse destacar ou que me despertasse uma paixão especial. Achava que as pessoas que estavam realizadas na sua profissão, ou que tinham uma actividade que as fazia felizes, eram umas sortudas, e não tinha a certeza se algum dia iria ter essa sorte na minha vida.
Joana Areias, Tu Consegues!


Nesta primeira semana de leitura aprendi:


  • Ao descobrir o nosso propósito podemos ajudar os outros

Ao vivermos o nosso propósito estamos a ajudar-nos a nós a viver de modo mais feliz, realizado, motivado, consciente e com boa energia. Mas, também vamos ter impacto na vida dos outros, quanto mais não seja, por influenciarmos positivamente as pessoas que nos rodeiam, com a nossa nova energia, conhecimento e emoções. Além disso, o próprio propósito pode servir os outros e quando assim é, sentimo-nos em sintonia com o Universo.
O impacto que temos na vida dos outros, é sempre muito difícil de medir e deve ser avaliado a longo prazo.


  • Para sabermos para onde ir é necessário saber primeiro onde estamos

Claro que queremos muito encontrar o nosso propósito, nem que seja pelo conhecimento de nós próprios, mas para dar o primeiro passo nesse sentido, temos de saber onde nos encontramos actualmente. Podemos estar numa destas 4 situações:

1. Já Sei

São as pessoas que já descobriram o seu propósito, estão a vivê-lo e a vida prossegue em fluxo com o Universo (Se estás nesta situação, podes ajudar os outros inspirando-os com a tua história, o teu modo de vida, o teu dia-a-dia, para que eles, por sua vez, tenham a coragem de seguir o seu próprio propósito)


2. Não sei

São as pessoas que não fazem ideia do que seja o seu propósito nem a(s) actividade(s) que gostariam de realizar. Sentem que nunca fizeram parte do grupo "Eu sempre soube o que queria fazer desde pequeno".

É onde eu estou neste momento!


3. Acho que não sei, mas sei

São aqueles que têm a mesma ideia do ponto anterior, mas após algumas questões apercebem-se de que afinal sabem o que gostariam de fazer.


4. Sei, mas não sei como

São as pessoas que sabem exactamente o que gostariam de fazer com as suas vidas, mas não sabem como poderiam colocar isso em prática.



E tu, em que ponto te encontras? Usa os comentários, para podermos partilhar os nossos percursos e quem sabe inspirar os outros a terem uma vida com propósito.



Fontes:
Areias J (2016) Tu Consegues. Lua de papel, Alfragide. 207 pp.



quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Propósito: Inspiração #1

Vamos ouvir o sussurro?

Tradução possível em baixo (não é a melhor tradução do mundo, mas acho que dá para perceber).




"Nunca quis viver sem algum tipo de afirmação, algum tipo de feedback colectivo e, talvez por isso, os meus primeiros filmes tenham sido todos sobre vocês, os meus primeiros filmes foram todos a solicitar-vos, a fazerem de vocês meus parceiros, a pensar em vocês por trás da câmara, a pensar o que vos poderia entusiasmar e o que vos excitava, o que vos fazia rir, o que vos fazia gritar, como poderia criar suspense (...). E vocês, vocês eram os meus parceiros... a minha audiência, eu colaborei convosco e vocês colaboraram comigo e eu penso que no início da minha carreira tive uma experiência magnífica e o que quero dizer é que eu não tive escolha, eu não tive escolha...

Quando têm um sonho... e o sonho não é uma coisa que vocês sonham e acontece, o sonho é algo que nunca sabiam que ia acontecer nas vossas vidas. O sonho vem sempre por trás de vocês e nunca há frente dos vossos olhos, ele esgueira-se de vocês.
Mas, quando têm um sonho, ele muitas vezes não vem ter convosco a gritar na vossa cara "ISTO É O QUE VOCÊS SÃO, ISTO É O QUE VOCÊS DEVEM SER PARA O RESTO DAS VOSSAS VIDAS". Por vezes, o sonho quase sussurra e eu sempre disse aos meus filhos: "As coisas mais difíceis de escutar, os vossos instintos, a vossa própria intuição humana, sussurram sempre, nunca gritam, é muito difícil de ouvir. Têm que, todos os dias das vossas vidas, estarem prontos para ouvir o que eles sussurram no vosso ouvido, eles raramente gritam". E se conseguirem escutar ... e se fizer cócegas no vosso coração ... e se pensam que é uma coisa que querem fazer para o resto das vossas vidas, então vai ser isso que vão fazer para o resto das vossas vidas. E nós beneficiaremos de tudo o que vocês fizerem.

Muito obrigado!"



segunda-feira, 1 de agosto de 2016

À procura do propósito: dia #1


Começa hoje a minha procura

Encontrei este livro por acaso numa ida banal ao supermercado, li a contracapa e fiquei com o bichinho da curiosidade.


"Este livro vai revelar-lhe o seu Propósito de Vida.
E o caminho para o concretizar. 

Quem é que não conhece pessoas que estão mesmo felizes no trabalho? Espalham alegria, tudo lhes corre bem. Umas sortudas, pensamos nós. A verdade, porém, é outra: conseguiram alinhar o seu Propósito de Vida (aquilo que realmente querem) com a profissão. Para elas, o trabalho é conhaque - sabe sempre bem.

A boa notícia é que o segredo dessas pessoas sortudas está ao alcance de todos. A coach Joana Areias criou um método especificamente pensado para nos ajudar a perceber que tipo de actividade nos realiza totalmente.

E não só. O método Life Purpose Coaching mostra também os passos concretos para transformar essa actividade no nosso trabalho de sonho. Mas garantindo em primeiro lugar a segurança financeira e a qualidade de vida que ambicionamos (ou seja, só depois de termos uma alternativa muito bem estruturada é que mudamos mesmo de vida).

O método é simples. Através de histórias, mitos, casos de clientes, conceitos psicológicos acessíveis, perguntas e exercícios, Joana Areias derruba, uma a uma, as barreiras que nós próprios criámos - e que nos impedem de mudar.

É como se o livro fosse um diálogo. O leitor apresenta uma série de obstáculos ("não sei o que quero"; "não estou em idade de mudar"; "a família nunca iria compreender") e a autora apresenta soluções para cada dúvida e medo. Pergunta a pergunta, resposta a resposta, acaba por nos conduzir ao ponto onde sempre quisemos chegar: uma vida com sentido, onde nos pagam para fazer o que mais gostamos.

A vida tem de valer a pena. Tu Consegues!"


Mais tarde numa ida à fnac, aproveitei para ler o início do livro e pronto tive de o trazer comigo. 

Vamos ver se consigo, então, descobrir o meu propósito!