quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Definir objectivos: Conclusão



Durante este mês andei a definir os meus objectivos. Comecei por definir as áreas da minha vida, depois por definir a prioridade dessas áreas e, por último, definir os meus objectivos.



A minha opinião sobre definir objectivos?


Durante este mês deparei-me com algumas das minhas limitações, nomeadamente pensar a longo prazo e definir objectivos com clareza. Como vos disse, é um assunto que eu tenho de estudar melhor, mas avancei na mesma. Construí o meu livro de sonhos e é aí que tenho escrito os meus objectivos. Também reparei que as prioridades estão sempre a mudar, o que é a minha prioridade num dia, noutro já não é. E a vida está em constante alteração, por isso é que é importante termos as prioridades e objectivos bem definidos para não nos deixarmos levar nas voltas e reviravoltas da vida e chegarmos ao fim de um ano e sentirmos que estamos no mesmo sítio. Que estamos parados. E ficamos admirados como é que passou um ano, 365 dias, e parece que não avançámos nada.



Vou continuar a praticar o hábito de definir objectivos?


Sim, apesar de não ser uma coisa fácil para mim, sinto que é importante. Este mês foi importante para perceber que afinal não posso querer fazer tudo de uma vez, mas posso fazer uma coisa de cada vez e atingir pequenos marcos, que se transformam em grandes objectivos e levam a uma maior satisfação em todas as áreas da minha vida.


E vocês, conseguiram definir objectivos?



segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Como utilizo o mês de Dezembro para reflectir



Existem dois momentos durante o ano em que costumo reflectir. Reflectir sobre o que sou, o que quero, o caminho que percorri e que quero percorrer. Reflectir sobre os meus hábitos e rotinas e analisar o que serve e o que não serve. Esses dois momentos são o meu aniversário e o mês de Dezembro. 

Durante o mês de Dezembro, ando sempre mais introspectiva. É um mês em que a partilha em família é muito importante e é um balanço de como correu o ano e como quero que corra o próximo. Como este ano, construí o meu diário e ando a construir o meu livro de sonhos, este balanço é mais fácil de fazer.

Aqui no blog vou arrumar a casa para entrarmos bem no ano novo. Vou contar-vos tudo sobre os hábitos que tenho praticado desde o início até agora e vou continuar a mostrar como me organizo na minha agenda, e quem sabe se vocês não se animam para construir a vossa própria agenda em 2017.

Agora quero saber se vocês também costumam reflectir em alguma altura específica do ano, ou nem pensam nisso?

 

sábado, 19 de novembro de 2016

Passo #3: Quais são os teus sonhos?



Agora que já definimos as áreas e as prioridades da nossa vida, chegou o momento de definir os objectivos. E alguns já devem estar a pensar "Ai Carla, enganaste-te no título do post", mas não, não me enganei, porque os nossos objectivos vão estar definidos no livro de sonhos. Vou explicar tudo.

Comprei um caderno A4 com capa verde, que é a cor da esperança, e vou construir um livro de sonhos. Tenho vontade de fazer isto desde que li o livro que impulsionou tudo isto, e agora chegou o momento.



Como construir um livro de sonhos?

Comecei por numerar todas as páginas e dividi o caderno em:

 

Índice

 Esta parte não precisa de grandes explicações, preciso do índice para saber onde está cada assunto.


Sonhos

Aqui vou colocar todos os meus sonhos, mesmo aqueles que me possam parecer absurdos. Aqui é a secção de sonhar sem limites e sem regras. Pode ser fazer uma viagem no Expresso do Oriente, ter uma casa no Norte, outra no Algarve, outra em Tróia... Estão a ver a ideia? É tudo o que gostamos. Pode ser um sonho vosso ganhar o euromilhões, é aqui que devem escrever esse sonho.


Desejos

Nesta secção vão estar todos os meus desejos/esperanças, sem especificar. Ou seja, sabem aqueles desejos de termos muita saúde, sermos felizes, termos uma família feliz... Vão estar todos aqui.


Objectivos em todas as áreas

Depois de termos definido as áreas, chegou a hora de definir todos os objectivos que queremos atingir, em cada uma delas. Sinto que tenho de aprender mais sobre este tema, no entanto, se estiver à espera de estar completamente preparada vou procrastinar eternamente, e mais vale uma pequena acção do que não agir.

Os objectivos são tudo o que nós queremos concretizar. Pode ser perder peso, cultivar as nossas amizades, sermos bons pais... Cada um de nós tem um conjunto de coisas que quer atingir antes de morrer, este é o sítio certo para escrever o que queremos. 

Para definirmos um objectivo, este tem de ter algumas regras, se não nunca vamos conseguir atingi-lo... e vamos ficar frustrados... e largamos tudo. As regras são muito simples:
  • Tem de ser exequível: Se eu definir o objectivo de ser cantora profissional neste momento, nunca vou atingir esse objectivo, porque não tenho esse talento e não é uma coisa que eu queira. Podem definir todos os objectivos que quiserem, desde que sejam exequíveis.
  • Tem de ser específico: Imaginem que o vosso objectivo é perder peso. Na área da saúde, em vez de escreverem simplesmente perder peso, coloquem antes "Perder 10 Kg" ou ainda melhor "Pesar (o vosso peso saudável) Kg". Quanto mais específico for, mais conseguem atingir esse objectivo.
  • Têm que definir um prazo razoável para o concretizarem: No exemplo anterior, de perder 10 Kg, se estipularem atingir esse objectivo daqui a uma semana, já sabem que não vão conseguir sem comprometer gravemente a vossa saúde. Por isso estipulem um prazo razoável.
Depois de definir os meus objectivos em cada área, vou colar imagens de pessoas e coisas que me inspiram nessas áreas.
Para já é só isto, assim que aprender mais sobre objectivos e como atingi-los, conto-vos tudo.


Pontos fortes

No meu livro dos sonhos, vão estar enumerados os meus pontos fortes, aquilo em que sou boa. Esta parte é importante para mim, porque tenho tendência a desvalorizar os meus talentos. E sim, todos nós temos talentos e coisas em que somos bons, mas parece que vivemos numa sociedade em que é feio afirmarmos que somos bons em determinada área, sob a pena de sermos vistos como convencidos. Se têm dúvidas sobre quais os vossos pontos fortes, perguntem a pessoas da vossa confiança, aquelas que sabem que vão ser sinceras. Eu já perguntei a algumas pessoas e fiquei surpreendida com o que disseram, descobri vários pontos fortes que me tinham escapado.

   

Pontos fracos

Depois de enumerarmos os pontos fortes, enumeramos também os fracos. Não se trata de masoquismo, e sim de conhecer as nossas capacidades e superar algumas limitações. Por exemplo, um dos meus pontos fracos é a falta de orientação, é mesmo muito má, mas isso não quer dizer que eu não me esforce por melhorar. 



E é isto sobre o meu livro de sonhos e definir objectivos. E vocês, ficaram com vontade de ter o vosso livro de sonhos?



sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Passo #2: Quais são as tuas prioridades?




Depois de termos definido as áreas da nossa vida, vamos ordená-las por prioridades. É claro que eu comecei a olhar para elas e achei que todas eram prioritárias, e que ia colocar tudo em primeiro lugar, mas não pode ser. Segui então um método que aprendi no livro Tu Consegues! e que vou partilhar convosco.



Importância


Peguei nas áreas e coloquei-as por ordem (da mais relevante para a menos relevante)

Saúde
Relação comigo própria
Maternidade
Amor
Família e amigos
Propósito
Finanças
Espiritualidade
Hobbies e vida social
Empresa
Casa



Qual a pior coisa que pode acontecer?


Para confirmar que era mesmo aquela a ordem, comparei uma a uma utilizando o seguinte exercício "Se eu não puser energia nenhuma nesta área no próximo ano, qual é que seria a pior coisa que poderia acontecer?"

O objectivo é criar cenários pessimistas, mas plausíveis. Como diz a autora, pensar no pior que pode acontecer, mas dentro do razoável e dá como exemplo que, não vale a pena pensar que a pior coisa que nos pode acontecer na área da saúde é cair-nos um piano em cima, porque não é um cenário muito plausível. Mas, pode acontecer aumentarmos de peso, ou sentirmo-nos exaustos e sem energia, ou voltarmos a ter uma crise de gastrite.

Depois comparei os piores cenários possíveis para cada uma das áreas que queria reordenar, tendo o pensamento "Qual é que não pode mesmo acontecer".
Neste passo vão ficar a saber o que é realmente prioritário e é natural que a ordem inicial sofra algumas alterações e fiquem com uma ordem mais alinhada com a verdade.



Nada satisfeito ou muito satisfeito


Depois classifiquei a minha satisfação pessoal em cada uma das áreas. Numa escala de 0 (nada satisfeita) a 10 (completamente satisfeita).

Depois de as classificar, fiquei com as minhas prioridades definidas e só faz sentido passar à segunda prioridade quando a primeira estiver com um nível de satisfação de 8, 9 ou 10. O mesmo para a terceira prioridade em relação às duas primeiras e assim sucessivamente.

Cheguei então a uma ordem que me parece mais real, e aqui a ordem já é do que tenho de tratar primeiro, e não do que é mais importante para mim.

Propósito
Empresa
Maternidade
Amor
Relação comigo própria
Hobbies e vida social
Finanças
Espiritualidade
Família e amigos
Casa
Saúde


Como vêem a saúde que é muito importante para mim, e que comecei por colocar em primeiro lugar, passou para último, porque o meu grau de satisfação nesta área é de 10. Como está estável, passou para último, para me concentrar nas áreas em que não estou satisfeita.



Preparados para descobrir as vossas prioridades?


Fontes:
Areias J (2016) Tu Consegues. Lua de papel, Alfragide. 207 pp.


sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Passo #1: Quais são as áreas da tua vida?




Não adianta de nada pôr-me a definir objectivos à toa, sem primeiro definir as áreas da minha vida. Depois de reflectir algum tempo sobre isto, até nem são poucas.
Peguei no meu diário e coloquei todas as áreas de que me lembrei e sem nenhuma ordem de prioridade.

  • Saúde: alimentação, exercício, hábitos de sono, saúde em geral
  • Finanças: rendimentos, poupanças, estabilidade financeira, investimentos, orçamento doméstico
  • Propósito: voluntariado, cuidar
  • Amor: relação amorosa, paixão
  • Família e amigos: família alargada, amigos do peito
  • Hobbies e vida social: tempos livres, entretenimento
  • Relação comigo própria: bem-estar físico e emocional, autoconfiança, tempo para mim e para me mimar
  • Espiritualidade: os meus valores, o que acredito, a minha ligação com o Universo
  • Casa: gestão da casa, decoração, limpezas, manutenção
  • Maternidade: actividades com o André, valores que lhe quero transmitir
  • Empresa: negócio

Podem acrescentar ou retirar áreas, o que importa é que no fim sintam que todos os aspectos da vossa vida têm um lugar definido. Peguem no vosso diário, ou numa folha de papel e escrevam todas as áreas.



O que elas representam para ti?


Depois das áreas definidas, peguei em cada uma e escrevi o que essa área representa para mim e o que quero fazer. Por exemplo, a área de saúde é muito importante para mim devido a algumas complicações que tive no passado, por isso o meu lema é prevenir e ser saudável. Escrevi coisas que quero continuar a fazer, como ter um estilo de vida saudável contemplando a alimentação, o exercício e hábitos de sono e acrescentei algumas coisas que quero experimentar, como yoga.

Ainda não estou a definir objectivos claros, apenas a reflectir sobre o que quero fazer em cada área, uma espécie de brainstorming.


O passo #2 vai ser definir a prioridade que cada área tem na minha vida.



E vocês, têm várias áreas na vossa vida, ou agrupam tudo?


terça-feira, 1 de novembro de 2016

Definir objectivos



"Prioridades e objectivos claramente definidos para todos os aspectos da tua vida desempenharão um papel semelhante ao do farol, dando-te orientação e um porto de abrigo quando o mar está revolto.
Robin Sharma, O monge que vendeu o seu Ferrari 


Costumo revelar o hábito que vou praticar uns dias antes do início do mês, para que quem quiser acompanhar-me se possa preparar. Mas, estava com dificuldade em decidir praticar este hábito. Na verdade, desde que iniciei o meu crescimento interior que andava desejosa e receosa, ao mesmo tempo, para praticar isto. Desejosa porque tenho a necessidade de definir prioridades e objectivos para me poder focar e não andar dispersa a querer fazer tudo. Receosa porque acho sempre que ainda não estou preparada, porque ainda quero ler alguns livros sobre este assunto, para me preparar melhor. 
Cheguei à conclusão que ando a empurrar com a barriga, a arranjar desculpas para procrastinar. E decidi que Novembro vai ser o mês em que vou, finalmente, definir objectivos. 

Na minha vida profissional já trabalhei por objectivos durante vários anos e tornei-me bastante boa a fazê-lo. No entanto, a minha experiência com definir objectivos e atingi-los na minha vida pessoal é quase inexistente. Até aqui limitei-me a algumas resoluções e desejos de ano novo.

Não sei se vos acontece o mesmo, mas eu estou sempre a fazer coisas, a realizar tarefas, a pôr projectos em prática e quero fazer tudo e não consigo, claro, e sinto-me frustrada. O objectivo é deixar de fazer as coisas aleatoriamente ao definir prioridades e objectivos claros e consistentes com a pessoa que somos, em todas as áreas da nossa vida.



 Como vou praticar o hábito de definir objectivos?





Conto com a vossa companhia para definir objectivos?