sexta-feira, 26 de maio de 2017

Como leio muitos livros sem gastar (muito) dinheiro



Como sabem este mês ando a praticar o Ritual do Conhecimento Abundante. Tenho falado nos livros que ando a ler e a estudar e até podem pensar que gasto uma pequena fortuna em livros... mas não. Aproveito é bem os recursos que tenho à minha disposição. Hoje vou contar-vos como leio muitos livros sem gastar (muito) dinheiro.



Tenho uma espécie de "clube" do livro

Tenho a sorte de pertencer a uma família que gosta muito de ler. Os meus pais sempre adquiriram muitos livros e têm estantes cheias deles, nem sei se a minha vida chegava para os ler a todos. Por isso, um dos meus recursos é a "biblioteca" dos meus pais.
A juntar a isso, somos uma família que temos por hábito oferecer livros nas datas festivas. Eu, particularmente, tento oferecer sempre um livro que seja apreciado pela pessoa que o vai receber e que eu própria ache interessante. Depois, o que acabamos por fazer é emprestar uns aos outros e trocarmos opiniões sobre os livros. O resultado é que temos o nosso próprio clube do livro.



Utilizo a biblioteca

Ainda sou do tempo em que ia com a minha irmã, requisitar livros a uma biblioteca itinerante da Gulbenkian, que não era mais que uma carrinha com livros.
Felizmente que as bibliotecas são cada vez mais e acessíveis em qualquer altura. Na zona onde vivo, tenho uma biblioteca e já fiz o cartão de leitora. De vez em quando, passo lá para ver os livros, nunca cheguei a requisitar porque tenho sempre muitos para ler.



Compro apenas os livros que me interessam

Eu tenho vários assuntos que me interessam, e para cada assunto existem milhares de livros. Para não gastar muito dinheiro em livros, a lógica que eu sigo é:
  • Sempre que quero mesmo um livro, ando ali uns tempos a "namorá-lo". Passo nas livrarias e leio a contra-capa, leio algumas passagens no interior.
  • Se decido que quero mesmo aquele livro, tento saber no meu clube do livro, se alguém já o tem e se pode emprestar.
  • Se ninguém que eu conheço o tem e eu decido que é uma boa compra, compro. Mas, mesmo aqui não me atiro logo de cabeça. Normalmente, tento comprar em segunda mão no OLX (ou outro site do género), ou espero por algumas ocasiões em que sei que há promoções, como é o caso da feira do livro e da altura do Natal em que as livrarias vendem bons livros a preços mais baixos. E até podem achar que é exagero, que comprar um livro não é o mesmo que comprar uma casa ou um carro. No entanto, eu gosto de gerir bem o meu orçamento e um euro aqui e outro ali, é onde, por vezes, se perde o controlo do dinheiro.
  • Por falar em dinheiro, é muito raro comprar um livro com o dinheiro do nosso orçamento familiar. Normalmente, utilizo o dinheiro que recebo no aniversário e no Natal, para comprar os livros que realmente quero.



E é assim que eu leio muito e gasto pouco. E vocês, têm truques para partilhar?


sexta-feira, 19 de maio de 2017

Como passei o "bichinho" da leitura ao meu filho



Já lá vai o tempo em que os pais diziam aos filhos "Faz o que eu digo, não faças o que eu faço". Nos dias de hoje já é do conhecimento geral que as crianças são fortemente motivadas pelo exemplo dos pais. Se passamos os nossos tempos livres no computador ou a ver televisão, não estamos à espera que eles se ponham a ler nos tempos livres deles.

Um dos meus desejos para o André sempre foi que ele gostasse de ler, que gostasse mesmo e não o fizesse por obrigação.
Então como consegui concretizar o meu desejo?



Dar o exemplo


Como sempre gostei de ler, não foi difícil dar o exemplo. Nos meus tempos livres é mais frequente encontrar-me a ler do que a ver televisão ou estar no computador. E ele sempre achou graça a ver os livros que eu estou a ler e a perguntar-me qual é a história.



Livros sempre acessíveis


Existem casas em que os livros estão em prateleiras muito altas, onde as crianças não chegam. Aqui em casa a maioria dos livros estão em estantes no chão. Além disso, sempre incentivei o André a mexer nos livros e a folhear, nunca lhe disse que determinado livro não era para a idade dele, deixo-o explorar.
Aliás, ele tem a própria estante com os livros dele. Mesmo quando ainda não sabia ler, de vez em quando lá os tirava todos para o chão e começava a ver as imagens.



Contar a história da noite


Este é um clássico. Já vimos em milhares de filmes os pais a lerem uma história aos filhos antes de adormecerem. E resulta.
Este é um dos rituais mais queridos cá em casa. Desde que o André era bebé que sempre lhe contei uma história antes de dormir. Agora que ele já sabe ler, os livros foram evoluindo e eu conto uma página e ele outra.



Deixá-los ler sozinhos


Desde que o André aprendeu a ler, incentivei-o sempre a ler sozinho. No início, sugeria-lhe ler nos tempos livres e agora ele próprio lê quando tem vontade. Quando anda muito calado, é fácil encontrá-lo na cama a ler.
Nunca o obriguei, nem nunca utilizei a leitura como um castigo. A leitura deve ser um prazer.



Oferecer livros que eles gostem


Existem tantos livros para crianças, que por vezes é difícil escolher. Quando vamos ao supermercado ou a uma livraria deixo-o andar a descobrir os livros e ando sempre atenta às conversas dele sobre o que gosta. Agora com 9 anos, alguns dos preferidos são O Diário de um Banana, Os Cinco e Uma aventura. É muito frequente oferecer-lhe livros, em datas especiais e não só.
Também costumamos ir, todos os anos, à feira do livro e deixo-o sempre escolher um livro para trazer para casa. 
Se quiserem descobrir bons livros para crianças recomendo o blog Planeta Zorp da Alexandra.


E por aí, também costumam oferecer livros às crianças?






sábado, 13 de maio de 2017

Como leio vários livros ao mesmo tempo




Depois de tantos livros lidos, sou da opinião que os livros não se devem ler todos da mesma maneira e existem alturas do dia em que se devem ler. Existem livros para ler como se não houvesse amanhã, tal é o entusiasmo com a história. Existem livros que são para ser apreciados com todo o tempo do mundo, demorando-nos nas palavras para melhor interiorizar a mensagem. Existem livros tão ricos em ensinamentos que só ler não chega e temos necessidade de sublinhar e estudar mais aprofundadamente. E depois existem livros para ler sem preocupações, deixarmo-nos apenas envolver pela história.

Houve uma altura em que lia apenas um livro de cada vez, só quando terminava de ler um é que começava outro. Mas, existem tantos livros que quero ler, e tantos assuntos diferentes, que sentia que demorava uma eternidade e agora o que faço é ler livros diferentes consoante a minha vontade.



Então como consigo ler vários livros?

 


Começo logo de manhã a estudar um livro do meu interesse, durante a minha hora zen. Neste momento estou a terminar "Como fazer amigos e influenciar pessoas", de Dale Carnegie. Apenas 20 minutos por dia ajudam-me a estudar muitos livros que me interessam. Como de manhã a minha concentração está no auge, é neste momento que estudo.




Depois existem alguns momentos ao longo do dia em que tenho que esperar, nestes momentos aproveito para ler um livro sobre nutrição. Neste momento estou a ler "Coma gordura e emagreça", do Dr. Mark Hyman. Ao ler sobre este assunto, fico motivada a comer de forma mais saudável, além de aprofundar o meu conhecimento.




Quando quero apenas descontrair, normalmente ao fim do dia, leio um livro de ficção. Neste momento estou a ler "No limiar da eternidade", do Ken Follet. Como é o terceiro livro da trilogia O Século e tem 1022 páginas, tenho demorado mais tempo do que é costume para terminar. Aqui deixo-me apenas levar pela história, sem preocupações de aprender. No entanto, se o livro for meu e encontrar uma passagem interessante, não resisto a sublinhar.





Desde que o André era bebé que leio uma história antes de ele dormir. Agora que ele já está mais crescido, o ritual mantém-se mas eu leio uma página e ele outra. O livro que estamos a ler agora é o Harry Potter e a pedra filosofal da J. K. Rowling.



Como avalio o que leio?

 



Durante a minha vida fui fazendo listas dos livros que li e atribuo uma classificação de 1 a 5, conforme o que esse livro me proporcionou.
Tenho essas listas espalhadas pelas minhas agendas e assim não me perco no meio de tantos livros.

Outra coisa que comecei a fazer é registar a minha opinião e o conteúdo do livro, no meu diário. O meu objectivo é ter um pequeno resumo do conteúdo do livro e treinar a escrita sobre a minha opinião. No entanto, é algo que ainda tenho de aperfeiçoar e de me empenhar de forma mais consistente. Neste momento, ainda é um bocado aleatório. Umas vezes registo e outras não.


E vocês, lêem vários livros ou apenas um de cada vez?


sábado, 6 de maio de 2017

Porque continuo a estudar se já não estou na escola?



Este mês ando a praticar o ritual do conhecimento abundante e vou contar-vos o que ando a estudar.
A maioria de nós estudou na escola, tendo como principal motivação os testes e os exames. Depois da escola, muitas vezes deixamos de ter motivação e cabeça para estudar.

Se na escola tive momentos de frustração, com disciplinas verdadeiramente desnecessárias, para dizer o mínimo. Agora que estudo assuntos que me interessam, estudar é uma das coisas que mais gosto de fazer nos meus tempos livres.
É que na verdade, eu sempre gostei de estudar, gosto de abrir um livro e sentir entusiasmo com o que posso aprender, gosto de ter um caderno a estrear e escrever com esferográfica e usar canetas de cores diferentes para os títulos e sub-títulos, enfim, sou uma nerd, eu sei.



O que ando a estudar e como?


Tenho muitos assuntos que me interessam, mas infelizmente não tenho tempo para me dedicar a todos. Assim seleccionei alguns e actualmente os assuntos que estou a estudar são desenvolvimento pessoal, relações sociais, nutrição e inglês. 

Se houve alguma coisa que aprendi em tantos anos de estudo é que cada assunto é único e como tal adequo a minha forma de estudar a cada livro e a cada assunto.

Desenvolvimento pessoal

 



Como vocês sabem ando a colocar em prática os hábitos e rituais do livro O monge que vendeu o seu Ferrari, de Robin Sharma. Este livro foi emprestado e não podia sublinhá-lo, como faço com os meus. Assim, o que fiz foi passar as passagens mais importantes para um caderno e assim posso consultar quando quero, mesmo já não tendo o livro comigo.



Relações sociais

 



Estou a reler o livro Como fazer amigos e influenciar pessoas, de Dale Carnegie. Como foi emprestado pela minha irmã, também estou a passar as passagens mais importantes para um caderno



Nutrição

 



Já vos tenho falado do meu interesse por este assunto, já li vários livros e neste momento estou a ler Coma gorduras e emagreça do Dr. Mark Hyman. Aqui não estou a tirar apontamentos, apenas a ler o livro.



Inglês

 


Esta é uma disciplina que já estudei na escola, mas como não pratico muito, o meu inglês anda um bocado enferrujado. Compreendo perfeitamente quando ouço e leio, mas falar e escrever já é outra conversa, tenho dificuldade com os verbos e na construção de frases.Vai daí, fui buscar os meus livros de inglês da escola e voltei a estudar com apontamentos, exercícios e tudo.



E pronto é isto que ando a estudar. E vocês, também gostam de estudar?


terça-feira, 2 de maio de 2017

Ritual do conhecimento abundante



"Tudo o que lemos integra-se no nosso consciente. A maior parte dos escritos baseia-se nas observações pessoais de um indivíduo. Podemos recolher, assim, no intervalo de uma tarde, o fruto de trabalhos que exigiram uma vida de observações, de labor, de pesquisas, de sofrimentos, de experiências...
Dominique Loreau, A arte da simplicidade 


O ritual que vou praticar este mês é o Conhecimento Abundante.

Já vos tinha dito que adoro ler, e os livros são, para mim, uma das maiores fontes de aprendizagem. Por esse motivo, este é um ritual que já pratico, mas existem algumas coisas que quero incorporar nos meus dias.

Muitas pessoas estudaram na escola e acham que depois de adultas já não há nada de novo para aprender. Eu já deixei a escola há muitos anos e continuei a estudar assuntos do meu interesse, e a motivação é muito maior do que estudar para um exame, é algo que me dá verdadeiro prazer. Este mês vou mostrar-vos como me tornei auto-didacta e como continuo a estudar.


Conto com a vossa companhia para mais um ritual?